Brasileiros no Canadá

O jornal eletrônico da comunidade brasileira no Canadá

Roberto Carlos mostra toda a sua majestade também em Toronto

Posted by José Francisco V. Schuster em 01/06/2010

No feriadão do Dia da Rainha Vitória, era um rei quem mais chamava a atenção das comunidades de língua portuguesa e espanhola de Toronto: cerca de duas décadas depois de sua última visita à cidade, estava de volta Roberto Carlos, que fez shows no domingo e na segunda-feira no teatro Massey Hall.

O essencial, porém, é que Roberto Carlos não se tornou o rei da música brasileira por linhagem, mas por aclamação de uma legião de milhões de fãs ardorosos. Mais do que isso, seu reinado não se restringe a um país, com a maioria da plateia sendo composta por portugueses, seguidos de fãs oriundos de diversos países de língua espanhola da América Latina, para só em terceiro lugar virem os brasileiros. Assim, mesmo estando no Canadá, o rei foi reverenciado com lotação quase esgotada nos dois dias, em um amplo teatro de 2.700 lugares.

Roberto Carlos conseguiu ainda a proeza de vencer um dos maiores inimigos dos reis: o tempo. A turnê para celebrar 50 anos de carreira, que se estende por um ano inteiro, não trouxe ao Canadá um rei decadente, vivendo de glórias do passado. Com seu repertório, demonstrou que seus inúmeros sucessos não se originaram em um certo período, mas abrangem toda a extensão de sua carreira. Roberto soube evoluir e reinventar-se a cada um dos seus mais de 50 álbuns, que venderam mais de 120 milhões de cópias no mundo inteiro.

Tendo iniciado com o rock, em seguida formou no Brasil o movimento da Jovem Guarda na década de 60, passando a ser um intérprete romântico a partir dos anos 70. Ainda hoje, seu grandioso especial de final de ano na Rede Globo, que vai ao ar desde 1974, é aguardado com ansiedade.

Uma ansiedade que também não faltou aos fãs canadenses, que avidamente começaram a procurar por bilhetes desde o anúncio do show pela Holywood Productions, ainda em meados do ano passado. Com os lugares esgotados para o primeiro dia e quase esgotados para o segundo, surgiu a angústia com um possível cancelamento. A mãe do cantor, Laura Moreira Braga, tema de sua canção “Lady Laura”, faleceu em 17 de abril último, aos 96 anos, sendo que em 1999, quando faleceu sua esposa, Maria Rita, Roberto Carlos passou por um período de reclusão. Uma contratura muscular, além disso, fez com que os médicos lhe ordenassem três dias de repouso, com o adiamento dos espectáculos marcados para os dias 19 e 20 de Maio em Houston e El Paso, nos Estados Unidos. A sorte, contudo, esteve a nosso lado – lembre-se ainda que o show programado para hoje na Guatemala foi adiado pela erupção de um vulcão.

Em Toronto, tudo correu da forma mais perfeita possível. O rei chegou de Chicago em seu jato particular, seguindo-se em um voo de carreira um grande séquito, incluindo-se uma banda com cerca de 20 músicos, além de toneladas em equipamentos. Com som e efeitos de iluminação impecáveis, a representar um céu estrelado, Roberto subiu ao palco vestido todo de branco, permitindo-se apenas um pequeno lenço azul no bolso. São manias a que um rei se dá ao direito, às quais acrescenta-se ser praticamente inacessível, tendo mesmo rejeitado uma entrevista coletiva com a comunicação social e tendo embarcado rapidamente em um automóvel, apesar da grande quantidade de fãs lhe esperando por um longo tempo à saída do teatro.

Justiça seja feita, o cantor manteve seu ritual de, ao final do espetáculo, beijar dúzias de rosas vermelhas e brancas e entregá-las à multidão de fãs, que as disputavam na beira do palco como se fosse um troféu. Todavia, no que mais importa, cada um, da plateia às galerias, foi brindado com nada menos do que duas horas ininterruptas de canções, desde “Emoções”, para iniciar, a “Jesus Cristo”, no final – ainda cedeu aos apelos e voltou para cantar “Amada amante” e “Eu quero apenas”.

Recheando o show, incluiu canções da Jovem Guarda, lembrou de sua fase mais erótica (com canções como “Proposta” e “Côncavo e convexo”), pegou no violão para tocar “Detalhes” e cantou em inglês (“de cais do porto”, como ele definiu), espanhol (”El dia em que mi quieras”) e italiano (“Un gato nel blu”). Para o público português, dedicou “Coimbra”, sendo muito aplaudido. E não faltou a homenagem à sua mãe com “Lady Laura”, que afirmou ser “difícil de cantar” neste momento. Nas pequenas conversas com seus “súditos”, o cantor de 69 anos de idade, nascido em Cachoeiro do Itapemirim, disse ainda que era um prazer estar em Toronto após 20 anos. “São dramas, romances, comédias. Um entrar e sair de ilusões por 50 anos”, falou para arrematar o grandioso e inesquecível espetáculo.

Obrigado, Roberto, por ter vindo a Toronto e nos ter permitido compartilhar das Bodas de Ouro de sua carreira. Pode ter certeza que os votos das mais de cinco mil pessoas que lá estiveram é de que ainda tenha um longo reinado pela frente e que aqui no Canadá as portas e corações estarão sempre abertos para recebê-lo. Obrigado, Eduardo Vieira, pela ousadia de apostar neste espectáculo, em uma coragem que poucos empresários têm. E, desde já, obrigado por aventurar-se em mais uma empreitada: a Hollywood Productions planeja agora trazer a Toronto Zezé di Camargo & Luciano.

CLIQUE TRÊS VEZES NAS FOTOS PARA AMPLIÁ-LAS AO MÁXIMO
* DIREITOS RESERVADOS – PROIBIDO CÓPIAS SEM AUTORIZAÇÃO *

Uma resposta to “Roberto Carlos mostra toda a sua majestade também em Toronto”

  1. Andrea Pacifico said

    Schuster,

    as fotos estao belas! Parabens pelo seu trabalho. Estou aqui lembrando dos momentos do show! Foi nota mil! Abraco da amiga, andrea.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: