Brasileiros no Canadá

O jornal eletrônico da comunidade brasileira no Canadá

Carassauga com pouco de Brasil

Posted by José Francisco V. Schuster em 24/05/2009

“O Festival de Culturas de Mississauga, CARASSAUGA, é neste fim de semana, dias 22, 23 e 24 de Maio. Infelizmente, este ano não haverá a participação integral de um grupo brasileiro para demonstrar a nossa cultura, o que é uma pena pois a nossa cultura é bem vasta e diversificada. O Grupo Brasil  não pôde comprometer por falta de verba e voluntários. Para representar o Brasil,apenas na parte de entretenimento, consegui um grupo de dançarinas para demonstrar o Samba e haverá Capoeira. A nossa representação lá ficará a desejar.

* Faço aqui um apelo para o próximo ano, para que haja uma cooperação maior de nós brasileiros para que possamos expressar e divulgar a nossa cultura neste novo país que nos acolheu. Desde já, aceito sugestões e/ou críticas construtivas para o próximo ano, favor contatar-me.

Com um fraterno abraço,

Edna Guimaraes-Raposo
Director,Carassauga Festival Inc. CONTINUA…


5500 Rose Cherry Place, 2nd floor
Mississauga, ON, L4Z 4B6
Direct line: (905) 615-3010
http://www.carassauga.com”

********************************

Recebemos do Grupo Brasil a carta abaixo, sobre a participação do Brasil na Carassauga 2009, em resposta ao post neste blog de 17/03/09:

“Toronto, 16 de abril de 2009

Caro Schuster,

Em nome do Grupo Brasil of Ontario, venho através desta carta esclarecer alguns pontos publicados em seu blog sobre a participação brasileira no Carassauga 2009.
CONTINUA…

I – No ano de 2008, a associação foi convidada para representar o Brasil no Carassauga. O convite foi aceito e a participação foi concretizada. Na ocasião, os organizadores do Carassauga receberam ajuda financeira dos órgãos públicos para a realização do evento, uma vez que eles apresentaram uma atração nova em 2008, que foi a criação do Pavilhão Internacional, do qual o Brasil fez parte.

Como a direção do Carassauga não criou em 2009 projetos novos, segundo a diretora Edna Guimarães, a verba consequentemente não foi disponibilizada para o evento deste ano.

Resultado: os países participantes terão que desembolsar, o valor mínimo de CND $5,000 (cinco mil dólares), para custear a participação no evento.

A diretoria do Grupo Brasil se reuniu, analisou as possibilidades de conduzir o projeto e concluiu que o valor é alto demais para a sua viabilização.

Edna Guimarães nos informou posteriormente que havia a possibilidade do recurso ser liberado pelo poder público. Estamos aguardando desde então o retorno do Carassauga sobre o assunto.

Gostaria de enfatizar que a questão financeira é o único motivo pelo qual o Brasil não será representado este ano no Carassauga. Outros países também não estarão presentes no evento pela mesma razão.

II – Nós temos plena consciência que tudo no Canadá é resolvido com antecedência. A diretoria do Grupo Brasil participou de todas as reuniões sobre o planejamento do Carassauga 2009, como consta da lista de presença dos organizadores.

III – Com relação à presença do Brasil no Carassauga 2008, devo salientar que foi a primeira vez que o Brasil teve uma participação em um evento dessa natureza na província de Ontário. O Grupo Brasil foi o responsável pela organização do Carassauga 2008. É importante que fique claro que alguns dos diretores da associação que eram diretores do CTG na época estavam representando o Grupo Brasil no evento.

Gostaria de lhe solicitar a publicação da resposta do Grupo Brasil como forma de esclarecimento ao público, o que nos é garantido pela Constituição Canadense.

Colocamo-nos à disposição para todo e qualquer esclarecimento necessário.

Atenciosamente,
Josivaldo Rodrigues
Presidente”

Post original:

Depois de o Brasil ter participado pela primeira vez, no ano passado da 23ª Carassauga, o país corre o risco de ficar de fora este ano. O alerta foi dado a este blogueiro por Jack Prazeres, presidente da Carassauga, a popular feira internacional que se realiza todos os anos em Mississauga, na região metropolitana de Toronto. 

O problema é que cada país só pode participar através de uma entidade associativa – um problema crônico para os brasileiros de Toronto, que não conseguem se organizar, ao contrário de cidades como Montreal, Calgary, Edmonton e Vancouver. Em 2008, na primeira e única participação do Brasil na Carassauga, a inscrição foi feita através do Grupo Brasil. Na prática, porém, o estande foi mantido pelo Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Querência do Norte. Neste ano, Prazeres diz que o Grupo Brasil ainda não deu resposta, sendo que no Canadá tudo é organizado com antecedência – o festival este ano é de 22 a 24 de maio.

O Centro Cultural Brasileiro do Ontário, que tentava organizar-se no ano passado para, enfim, a maior comunidade brasileira no Canadá ter um ponto de encontro, passa por uma desmobilização antes mesmo de ter nascido de fato, devido a inacreditáveis pressões contrárias de alguns aos voluntários que tentavam, desinteressadamente, fazer algo pelo bem da comunidade.

O magnífico pavilhão de Portugal foi premiado como o melhor dentre os mais de 40 que participaram da Carassauga 2008, recebendo inclusive a visita da prefeita de Mississauga, Hazel McCallion, que lá assistiu a uma apresentação do folclore lusitano. E o Brasil, sequer vai participar da Carassauga 2009? Um dos maiores países do mundo não pode ficar ausente deste festival que promove o multiculturalismo canadense. Este blog convoca a uma mobilização urgente. Deixe seu comentário.

2 Respostas to “Carassauga com pouco de Brasil”

  1. Valter Barberini said

    “devido a inacreditáveis pressões contrárias de alguns aos voluntários que tentavam, desinteressadamente, fazer algo pelo bem da comunidade”
    “Tentavam, desinteressadamente”, é mesmo difícil (até engraçado) explicar certas coisas, principalmente quando falamos das inúmeras tentativas de nos organizar como comunidade.
    Eu mesmo (que vivia isolado na obscura Mississauga por anos) presenciei algumas destas tentativas.
    Eu acho que a direção deveria ficar na mão de poucos.
    Você já deve ter ouvido o dito popular que diz: Há muito pagé para pouco índio.
    Temos muita gente honesta e com competência de sobra para tocar o projeto. Sempre haverá interesses e descontentes, se limitarmos a um grupo pequeno e responsável teriamos maior chance.

  2. Paulo G said

    Parabens Schuster pelo espaco democratico que vc disponibiliza para podermos discutir alguns assuntos da comunidade.
    Concordo com o Valter quando diz que ha muito cacique para poucos indios “trabalhando”. Na verdade, nao sao apenas interesses que estao em jogo e sim “melindres”, na minha modesta opiniao. Tem muitos Brasileiros que, depois de um certo tempo no Canada, se esquecem completamente de suas raizes, considerando o Brasil um Pais distante com belas praias e muita violencia. “Trabalhar pelo Brasil, praque? Estamos bem aqui”, ouvi de alguem. Mas ha muitos fazendo trabalho voluntario pelo Canada, o que e louvavel, mas por que nao fazer um pouquinho mais pelo Brasil?
    Quanto a “vivi na obscura Mississauga”, Valter, sinto muito, mas eu vivo em Mississauga e acho maravilhosa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: